Olá ! Qual a melhor comida do mundo para você?

Pode ser aquela receita que só a sua avó sabe fazer.... ou aquela que você mesmo (a) inventou com os únicos ingredientes que haviam em casa e deu super certo!... sem falar naquele restaurantezinho escondido naquela cidade que você nunca ouviu falar e te surpreendeu!! ... Conte prá gente! Qual é a melhor comida do mundo para você??

3 de setembro de 2009

Comida para compartilhar – Bacalhau ao forno


Depois de um tempo sem escrever (peço desculpas a quem acompanha meu blog diariamente), voltei com força total. Pensei que esse post deveria também ser muito especial e me deu vontade de escrever sobre relacionamentos, vínculos e de como a comida está relacionada a isso.
“O Último Chef Chinês” é um livro que fala sobre a culinária da China. Livro sensível, interessante e com um olhar muito diferente daquele que temos quando pensamos em comida chinesa. Provavelmente falarei mais sobre esse livro em outros posts, mas o foco hoje é relacionamento x comida.
Na China, o auge das refeições não é nem o comer nem o cozinhar, mas sim o compartilhar do alimento. Iguarias nunca devem ser consumidas em solidão. Que prazer uma pessoa pode tirar da culinária refinada se não convidar amigos queridos para comer?
O conceito chinês de relacionamento está diretamente ligado ao coração da culinária, onde todas as refeições são compartilhadas e nada é colocado ou servido em prato individual (como encontramos freqüentemente na culinária ocidental e até é sinônimo de requinte).
Lá na China, a comida é como um “código de etiqueta” e define hierarquia. A refeição é na verdade, um meio de reunir pessoas com um objetivo em comum e essa conexão entre comida e relacionamentos é chamada guanxi.
Como no livro é muito comentado que no ocidente o que é chamado de comida chinesa não chega nem perto do que ela realmente é, preferi preservar seus encantos. Por isso, a receita de hoje é bacalhau ao forno, um prato para ser compartilhado entre amigos e família, de preferência naquele almoço de domingo quando todos estão reunidos ao redor da mesa, dispostos a compartilhar de uma refeição deliciosa (não servida individualmente) como também de suas experiências de vida.

Receita: Bacalhau ao forno

- 500 gr de filé de bacalhau fresco
- 4 batatas grandes cortadas em rodelas grossas
- 4 tomates cortados em rodelas
- 3 cebolas cortadas em rodelas grossas
- 3 ovos cozidos cortados em rodelas
- azeitonas pretas
- salsinha
- azeite
- sal a gosto

- Lave bem o bacalhau em água corrente, esfregando limão para tirar o cheiro forte do peixe. Coloque um pouco de sal em cada filé e reserve.
- Cozinhe separadamente as batatas já cortadas e os ovos inteiros (corte-os após esfriarem um pouco).
- Corte em rodelas os tomates e a cebola. Reserve.
Num refratário de tamanho médio, faça a montagem da seguinte forma:
- Regue com azeite o fundo do refratário e coloque as batatas de forma a cobrirem todo o fundo.
- Em seguida, coloque os filés de bacalhau já salgados por cima das batatas.
- Cubra os filés com as rodelas de tomate.
- Por fim, cubra os tomates com as rodelas de cebola.
- Coloque as azeitonas por cima.
- Regue com azeite, cubra com um papel alumínio e leve ao forno por 45 minutos (temperatura média).
- Retire o papel alumínio, acrescente as rodelas de ovos e a salsinha e volte ao forno até secar um pouco da água que forma no fundo.
- Sirva com arroz branco e bom apetite!!!!

Dicas:

- Para cozinhar os ovos, coloque água numa panela média, acrescente os ovos e leve ao fogo. Se colocar um pouco de vinagre, fica mais fácil retirar a casca depois. Quando a água começar a ferver, deixe por 5 minutos e retire.
- Se você gosta de batata palha, coloque um pouco por cima antes de voltar ao forno (após retirar o papel alumínio)
- Outra coisa que combina muito bem é grão de bico. Coloque uma camada entre o tomate e a cebola, fica uma delícia!

Vinho:

Para acompanhar o bacalhau, a dica são vinhos portugueses, como sempre para todos os bolsos.
Muitas pessoas acreditam que só tomamos vinho branco para acompanhar pratos com peixes, mas o que importa é fazer uma harmonização correta. Portanto, nesse caso, o vinho tinto português vai muito bem.

Quinta do Valdoeiro Shiraz 2005
(R$ 76,09 Wine Store www.winestore.com.br)

Quinta de Cabriz Reserva 2005
(R$ 67,99 – Expand www.expand.com.br)

Altano - Graham's Altano 2006
R$ 37,01 – Mistral www.mistral.com.br)

Livro:

O Último Chef Chinês, de Nicole Mones
(R$ 34,90 Americanas www.americanas.com.br)

10 de agosto de 2009

Comidinha Sal Doce – Risoto de figo seco com gorgonzola e espinafre


Nem todo mundo gosta de misturar ingredientes doces com salgados. Eu fazia parte desse grupo e, de certa forma, ainda faço. Acho que essa combinação deve ser bem cautelosa, para que o prato não perca a sua harmonia.
Quando era criança costumava ir a um mercadinho perto de casa chamado Sal Doce. Esse lugar era o paraíso para qualquer criança, pois tinha tudo de mais gostoso e menos nutritivo possível.... uma verdadeira perdição!
Eu comia um salgado e depois um doce.....aí ficava com vontade de comer outro salgado, que era rebatido com mais um docinho (!!) ...., mas nunca comia os dois juntos... (rs)
Certas coisas começamos a apreciar somente quando crescemos, pois nossos interesses mudam (graças a Deus!) e com isso, também muda o nosso paladar...
Esse risoto surgiu mais ou menos assim... da necessidade de atender a pedidos de pratos “sal doce”, mas que não agridem àqueles que ainda não estão preparados para misturas tão radicais ou para quem realmente ainda prefere comidinha quente e (só) salgada... e que se surpreende ao morder as sementinhas do figo, depois de bem cozidinho no arroz, levemente doce... (clique na foto para ampliá-la e vc vai ver...uma delícia!)

Vale muito experimentar! É uma das minhas receitas favoritas...

Receita: Risoto de figo seco com gorgonzola e espinafre

- 2 litros caldo de legumes
- 100 gr figo seco cortado em tiras finas
- 500 gr arroz arbóreo
- 300 gr gorgonzola picado
- 1 prato fundo cheio de folhas de espinafre(sem os cabinhos)
- 1 cebola picada
- 2 colh sopa de manteiga
- 1 xic cha de vinho branco

- Refogue a cebola com a manteiga.
- Coloque o figo seco cortadinho e deixe refogar até ficar um pouquinho mole.
- Jogue o arroz arbóreo e misture bem.
- Adicione o vinho branco, continue mexendo até evaporar.
- Comece adicionando o caldo (2 conchas por vez) e vá mexendo. Quando o caldo for secando, adicione novamente e continue fazendo isso até perceber que o arroz está ficando al dente (vá sempre experimentando, você é o melhor termômetro!)
- Quando o arroz estiver no ponto, tire um pouco do fogo e acrescente o gorgonzola em pedaços. Mexa bem até derreter completamente (se necessário, pode levar no fogo baixo para ajudar a derreter o queijo). Se necessário, acerte o sal.
- Fora do fogo, acrescente as folhinhas de espinafre, mexendo sempre. Tampe a panela e deixe repousar por uns 5 minutinhos para que a folha murche com o calor do risoto.
- Sirva e se delicie. Esse risoto vai muito bem com uma carne simples como, por exemplo, um rosbife de file mignon (postarei uma receitinha para o rosbife em breve!).

Dicas:


1) Se você é fã de ingredientes doces em pratos principais, aumente a quantidade de figo.
2) O figo pode ser substituído por outra fruta seca, como a pêra, mas lembre-se que o gorgonzola é um queijo forte, então seja cauteloso caso faça essa substituição.
3) A melhor forma de encontrar o ponto do risoto é ir experimentando. Faça com calma, coloque água aos poucos, assim você não passará do ponto certo, que é aquele que mais lhe agrada.
4) Muitas pessoas acrescentam 1 ou 2 colh sopa de manteiga ao risoto pronto, para dar cremosidade. Como a maioria quer economizar nas calorias e o gorgonzola já é um queijo cremoso, não vejo tal necessidade... mas se vc tiver essa curiosidade, experimente! Só tende a melhorar... rs..

Vinho:

Hummm, esse prato pede um vinho , sem sombra de dúvida!

A sugestão de hoje é a uva Pinotage. Essa uva foi criada na África do Sul e é produto do cruzamento de duas outras espécies: a Pinot Noir (a minha preferida) e a Hermitage.
Atualmente já podemos apreciar um Pinotage brasileiro, porém onde essa uva vem ganhando bastante espaço mesmo é na Califórnia.
Das 3 sugestões abaixo, a que vale mais a pena é o Fleur Du Cap, um vinho de custo benefício excelente e que, com certeza, não deixa nada a desejar em relação aos outros. Excelente opção.

Raka Pinotage 2004/2006
(R$ 109,75 – Decanter www.decanter.com.br)

Beyerskloof Pinotage 2007
(R$ 45,31 – Mistral www.mistral.com.br)

Fleur du Cap Pinotage 2005
(R$ 34,00 – Importação CBD www.paodeacucar.com.br)

2 de agosto de 2009

Comida para celebrar e amar - Carré de cordeiro com polenta ao mix de cogumelos






Fazer aniversário é sempre muito bom, eu particularmente adoro. Claro que não é pelo fato de ficar um ano mais velha ou deixar mais um ano para trás, e sim porque é chegado o momento de celebrar, de agradecer por mais um ano abençoado de vida e por estar perto da família e dos amigos.
Esse ano não foi diferente. Cada dia da semana eu comemorei com pessoas queridas, mas no dia do meu aniversário foi uma celebração pra lá de especial.
O cenário: casinha arrumada, cheirosa. Convidativa quarta–feira chuvosa. Mesa posta para jantar a dois. Menu especial para fazer a quatro mãos. Vinho inesquecível.
Não foi só o menu, nem apenas o vinho. Foi a celebração como um todo - desde a escolha do cardápio ao preparo do jantar - tudo feito com muito amor, com o meu amor....

E nesse quarto dia já vivendo o meu 33º ano de vida, compartilho essa receita especial com vocês, onde as principais dicas são:
- Faça com amor
- Torne o ato de cozinhar uma celebração especial, de preferência com a pessoa que você ama
- Ao final, desfrute desse prato delicioso e lembre-se que o jantar propriamente dito pode ser apenas o apogeu de um evento muito maior.

Receita: Carré de cordeiro com polenta ao mix de cogumelos

Carré
- 6 carrés de cordeiro
- azeite, tomilho, alecrim e sal
- alho cortado em lâminas

- Faça uma pasta com os temperos, menos o alho.
- Lambuze os carrés em todos os lados com a pasta.
- Coloque as lâminas de alho por cima do tempero.
- Aqueça bem uma frigideira de ferro grossa ou uma grelha, por uns 15 minutos ou mais. Quando estiver bem quente, sele os carrés da seguinte forma: coloque-os na frigideira, deixe grelhar de 2 a 3 minutos de um lado e vire para grelhar o outro lado pelo mesmo tempo.

Polenta
- 250 gr de fubá
- 1 litro de caldo de carne (se preferir usar cubos de caldo de carne, utilize 1 ½ cubinho de caldo de carne para 1 litro de água)
- 2 colheres de sopa de manteiga
- parmesão ralado

- Ferva o caldo de carne.
- Adicione o fubá aos poucos, mexendo sempre. Quando estiver bem cremoso, desgrudando da panela, desligue o fogo (o tempo de cozimento é cerca de 25 minutos).
- Acrescente a manteiga, o parmesão e mexa até dissolver.

Mix de cogumelos
- 400 gr de cogumelos diversos (shimeji, paris, shitake)
- ½ frasco de creme de leite fresco
- 1 xíc de vinho tinto
- 2 colh sopa de manteiga
- 1 cebola picada
- 2 colh sopa de salsinha picada
- sal

- Refogue a cebola na manteiga
- Adicione os cogumelos (já lavadinhos) e cozinhe até que a água liberada pelos cogumelos seque.
- Coloque o vinho e espere evaporar.
- Acrescente o creme de leite (tomando cuidado para não ferver) e cozinhe por 5 minutos.
- Quando estiver pronto, coloque a salsinha.

Dicas:

1) Coloque a polenta no prato e o mix por cima. Sirva com o carré.
2) O mais importante em relação ao carré é achar uma carne de qualidade. Um bom lugar para comprar é no Mercadão (Mercado Municipal de São Paulo), além de ser um excelente passeio.
3) Se você não gosta de cordeiro, pode substituir por uma outra carne vermelha, como por exemplo um bife ancho ou bisteca de boi.

Vinho:

Uma uva que harmoniza muito bem com cordeiro é a Malbec Argentina, além disso, normalmente encontramos garrafas com um excelente custo benefício aqui no Brasil.
A Malbec é sinônimo do vinho argentino de qualidade e não por acaso é a uva mais plantada no país vizinho.
Como sempre, indicamos três faixas de preço, mas existem muitos outros excelentes Malbecs no mercado, como Terrazaz, Terrazaz Reserva, Altimus, Trumpeter, Norton, etc.

Catena Zapata - DV Catena Malbec-Malbec 2004
(R$ 69,19 – Mistral http://www.mistral.com.br/)

Doña Paula - Los Cardos Malbec 2008
(R$ 39,00 – Grand Cru www.grandcru.com.br/)

Nieto Senetiner Malbec 2006
(R$ 23,00 – Casa Flora www.casaflora.com.br/)


"Beba com moderação. Se beber, não dirija!"

27 de julho de 2009

Comidinha da Alma - Spaguetti ao creme e alho poró


Finalmente esse blog criou corpo!! Agora colocaremos um pouco de alma e coração com as contribuições...
Há muito já ouvia essa expressão "comidinha da alma"... é uma coisa que vem da minha família (deve haver em outras famílias tbm, depois vcs me contam!) e que até hoje eu levo comigo...
Funciona mais ou menos assim: quando alguma emoção aflora e toma conta da gente, costumamos ficar vulneráveis e tudo no nosso organismo fica diferente.... às vezes estamos felizes, tristes, carentes, doentes, apaixonados... ou apenas curtindo uma tarde de inverno dentro de casa no sofá lendo um livro.... e, nada melhor (acreditem, nada mesmo!) do que uma "comidinha da alma"!! "....aquela comidinha que parece um cobertor... uma mantinha que se envolve no corpo da gente, aconchegando.... ou que tem gosto de abraço de amigo, de colo de mãe, de cheirinho de avó....
"Comidinha da alma" é nada mais do que aquela comida que te conforta no momento, que te aquece, que te embala....

A minha primeira receita de "comidinha da alma" para vocês é super simples de fazer.. anotem aí!

Receita: Spaguetti ao creme e alho poró

- 500 gr spaguetti grano duro
- 2 talos alho poró (cortados em rodelas finas)
- 2 colh sopa manteiga
- 1 xíc. chá água
- 1 frasco creme de leite fresco
- 200 gr queijo parmesão ralado
- noz-moscada

- Cozinhe o spaguetti (ou a massa de sua preferência) al dente
- Em uma wok (ou panela larga) refogue o alho poró na manteiga até começar a murchar.
- Acrescente a água e deixe evaporar, mexendo de vez em quando.
- Acrescente o creme de leite fresco com o parmesão ralado, até derreter.
- Coloque a noz-moscada e acerte o sal.
- Quando a massa estiver pronta, coloque o molho e deixe tampada por uns 5 minutos. Sirva em seguida.

Dicas:

1) Escolha uma massa de qualidade. Existem marcas excelentes no mercado (ótimo custo benefício) que farão toda diferença no resultado final.
2) Prefira sempre os ingredientes frescos. No caso da receita acima, use o alho poró fresco e a noz-moscada inteira, para ralar ao usar.
3) Ao invés de usar o queijo ralado em pacotes, prefira o parmesão de qualidade. Compre em pedaço e rale em casa ou peça para ralar na hora, no supermercado.

Vinho:

Como toda boa comida pede um bom vinho (ainda mais nos dias de inverno), colocarei algumas sugestões de vinhos para acompanhar os pratos aqui no blog, sempre com 3 opções para todo tipo de bolso.

Apesar do prato Spaguetti ao creme e alho poró ser relativamente simples e ir bem com vários tipos de uva, a minha sugestão para acompanhar esse prato é um Carménerè, uma uva que surgiu na região de Bourdeaux (França) e desapareceu por um tempo, sendo descoberta acidentalmente no Chile nos anos 90, tornando-se um dos símbolos das vinícolas chilenas.

Sugestões de vinhos Carménerè:

Errazuriz Max Reserva Carménerè 2007
(R$ 84,41 – Vinci http://www.vincivinhos.com.br/)

Casa Silva Reserva Carménerè 2006
(R$ 52,40 – Vinhos do Mundo http://www.vinhosdomundo.com.br/)

Concha & Toro Reservado Carménerè 2007
(R$ 19,90 – Expand http://www.expand.com.br/)

"Beba com moderação. Se beber, não dirija!"